A INFLUÊNCIA DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO NA PERCEPÇÃO DOS ANIMAIS SELVAGENS (05/2019)

Um novo estudo da Stiching SPOTS e da Saxion University of Applied Sciences mostra o efeito prejudicial da mídia social na percepção da vida dos animais selvagens.

A maioria das pessoas não tem a oportunidade de observar animais não domesticados em seu ambiente natural e depende de meios de comunicação (sociais) para aprender sobre esses animais. A forma como a mídia (social) retrata as espécies de gatos selvagens afeta nossa percepção e comportamento para com esses animais. Isso coloca uma responsabilidade importante sobre os produtores de mídia (social) para representar corretamente os animais e seu relacionamento com os seres humanos. Hoje em dia, a mídia social retrata cada vez mais os gatos selvagens nas interações com os humanos. Isto pode aumentar o desejo das pessoas de se envolverem em convívio com os animais não domesticados, reduzir as objeções contra a exploração de animais não domesticados para tais interações e distorcer a percepção que as pessoas têm do perigo que os animais selvagens representam.

A exposição contínua às imagens das interações “humano-animal selvagem” pode resultar em uma percepção errada onde os animais selvagens são entidades disponíveis para a diversão humana ao contrário de serem criaturas interessantes e “sem-preço”. É provável que isso reduza o limite para o ser humano se envolva em interações com espécies de gatos selvagens no futuro e reduza as preocupações morais sobre a exploração de animais selvagens para esse fim. Embora seja necessária mais investigação para determinar quais são as consequências comportamentais a longo prazo da exposição a imagens de animais selvagens em interações com seres humanos, estudos realizados mostraram que a exposição frequente a imagens da mídia pode resultar em alterações comportamentais indesejáveis a longo prazo. Assim sendo, é importante que os produtores (sociais) de meios de comunicação social e outros que utilizam imagens de gatos selvagens pensem cuidadosamente na forma como retratam um animal e estejam conscientes da atitude, percepções e comportamento que este retrato pode promover. A falha pode, sem querer, encorajar comportamentos antiéticos, irresponsáveis e até mesmo perigosos, com consequências muitas vezes terríveis para os animais e para os seres humanos envolvidos.

Embora o desejo de interagir com gatos selvagens possa ser mais forte do que a obrigação moral de não o fazer, as campanhas de sensibilização parecem desencorajar as pessoas de interagir com animais selvagens através de atrações turísticas prejudiciais.

O estudo completo está disponível aqui:

Main image courtesy of Stichting SPOTS